Resumo da Ópera #52 – Chadwick Boseman, On The Road e séries sobre cantores

Wakanda forever! Depois da triste notícia do falecimento do ator Chadwick Boseman, o Resumo da Ópera homenageou o “Pantera Negra” no quadro Calçada da Fama, em que falamos um pouco sobre sua carreira.

No quadro de curiosidades começamos uma série sobre cantores que também atuam, dirigem filmes ou escrevem. E a primeira da lista foi Beyoncé.

E o clássico dessa edição do Resumo foi “On the road”, obra de Jack Kerouac que marcou a chamada “geração beat” e toda a contracultura norte-americana.

Também explicamos o que significa “One True Pairing” no mundo das séries e falamos das novidades no streaming e nas livrarias.

 Não esqueça, o Resumo da Ópera acontece toda sexta-feira, ao vivo, às 15 horas.

Confira aqui descrição completa do episódio

Alô fã de filmes, séries e livros. Começa agora o Resumo da Ópera, edição 52.

Aproveite para participar com a gente. Vale mandar sugestão, comentar nossas notícias e quadros, indicar filmes e séries… Entre em contato com a gente pelo site da rádio, pelo e-mail ouvinte@radiobradescoseguros.com.br ou pelo telefone (11) 996434227.

A gente começa com a calçada da fama:

CALÇADA DA FAMA:

Chadwick Boseman

Quem passa pela Calçada da Fama de hoje é o ator Chadwick Boseman, falecido recentemente aos 43 anos, vítima de um câncer.

Nascido na Carolina do Sul, se formou com bacharel em direção ainda nos Estados Unidos, indo mais tarde estudar teatro em Londres. Quando voltou para os Estados Unidos, começou a dar aulas de teatro por lá.

No começo, sua ideia era ser realmente diretor e acabou entrando na atuação mais para ter uma ideia de como era estar na pele dos atores. Com ótimas atuações no teatro, Chadwick começou a aparecer em seus primeiros papéis também no cinema e em séries de TV.

Nos filmes, destaque para dois personagens reais que interpretou: Jackie Robinson, o primeiro atleta negro a jogar na liga americana de Baseball, no filme “42: a história de uma lenda”, e o cantor James Brown em “Get on Up”.

Mas não tem como falar de Chadwick Boseman sem mencionar seu maior sucesso no cinema, “Pantera Negra”. Vivendo o rei de Wakanda, Chadwick foi fundamental para o sucesso do filme, um importante marco na história do cinema ao trazer o herói negro para as telonas.

Uma de suas últimas atuações foi no mais recente filme de Spike Lee, “Da 5 Bloods”, em que interpreta o líder de um destacamento formado por soldados negros no Vietnã.

MARQUE NA AGENDA:

Alguns destaques quem entram nos serviços de streaming são “clássicos” recentes: “Escola de Rock”, “Meninas Malvadas” e “Django Livre”. Também tem boas opções para as crianças: “Emoji: o filme”, “O chefinho – pega esse bebê” e a segunda temporada de “Thomas e seus amigos”.

Ainda no streaming, o grande destaque no mundo das séries é a segunda temporada de “The Boys”, com os super-heróis foragidos tentando se adaptar a uma nova realidade.

Na literatura, tem novidade na poesia. O leitor já encontra por aí “Canções de atormentar”, de Angélica Freitas, autora do famoso “Um útero é do tamanho de um punho”.

FALANDO GREGO:

One True Pairing

O termo de hoje vem do universo das séries. “One True Pairing”, ou também conhecido pela sigla “OTP”, seria algo como “Um par verdadeiro”, numa tradução livre. Esse termo é usado justamente para falar de personagens que formam aquele tradicional “par perfeito”, ou seja, aquele casal que os fãs “shipam”, que torcem para ficarem juntos na trama.

SESSÃO TRILHA SONORA:

Lúcifer – Tom Kapinos (2016-)

Um dos grandes sucessos recentes, “Lúcifer” é uma série criada por Tom Kapinos e estreou em 2016.

Na história, o senhor do inferno Lúcifer está entediado e resolve passar um tempo em Los Angeles, onde acaba virando dono de uma casa noturna. Com Tom Ellis no papel principal a série vai chegar ao fim com seis temporadas.

E a trilha sonora de “Lúcifer” conta com músicas de Jack Bugg, Leon Bridges, Outkast e Depeche Mode, que a gente ouve agora com “Personal Jesus”.

(Depeche Mode – Personal Jesus)

CLÁSSICO É CLÁSSICO:

On the Road – Jack Kerouac

“On the road”, ou, como traduzido aqui pro Brasil, “Pé na Estrada” é um livro clássico da geração beatnik e da contracultura.

Escrito por Jack Kerouac, ele foi publicado pela primeira vez em 1957 nos Estados Unidos.  O livro acompanha o escritor Sal Paradise que decide cruzar os Estados Unidos de ponta a ponta pegando a estrada com seu amigo Dean Moriarty.

Com uma escrita com uma pegada bastante caótica, o ritmo do livro é frenético ao acompanhar as situações e os perrengues que vivem os amigos. O livro costuma aparecer em várias das listas de melhores romances de língua inglesa já escritos.

Bem mais recentemente, em 2012, o brasileiro Walter Salles dirigiu a adaptação pro cinema de “On The Road”.

NOTÍCIAS:

Uma pesquisa recente mostrou que nos últimos três anos a indústria editorial voltada para e-books, audiolivros e plataformas de conteúdo digital cresceu 140%.

Nessa indústria os e-books são o carro-chefe, com 96% das vendas totais. A pesquisa também mostrou que nesses três anos cresceu o acervo desses conteúdos. O aumento foi de 37%, com mais de 70 mil títulos disponíveis nessas plataformas.

Outro dado interessante foi o preço médio do e-book, que ficou abaixo do preço médio do livro físico. O e-book custou em média 15 reais e 50 centavos, enquanto o livro físico, 19 reais.

Mas vale lembrar que os dados comparam os números de 2016 com os de 2019 e as mudanças de hábito por conta da pandemia da Covid-19 ainda não aparecem nesse levantamento.

CURIOSIDADES:

CANTORES QUE TAMBÉM ATUAM OU ESCREVEM – PARTE 1: BEYONCÉ

Hoje aqui no quadro de curiosidades a gente começa uma espécie de série que vai misturar músicas com literatura e cinema. Nós vamos falar de artistas, mais conhecidos por suas carreiras como músicos, que também foram ou são escritores, atores ou diretores. E quem estreia nossa série é Beyoncé.

Beyoncé

Inegavelmente uma das artistas mais celebradas e premiadas da história da música, Beyoncé também tem carreira de sucesso em outras áreas, entre elas na atuação:

Em 2001, quando já era famosa como parte do grupo Destiny’s Child, a cantora atuou em seu primeiro filme, “Carmen: a hip hopera”. Mas sua atuação de maior sucesso até hoje foi em Dreamgirls, de 2006. Vivendo a personagem Deena Jones ela recebeu uma indicação ao Globo de Ouro como Melhor Atriz em Comédia ou Musical.

Mais recentemente, ela roteirizou e dirigiu o bastante elogiado “Black is King”, um álbum visual com pegada afrofuturista que acompanha a trilha sonora que ela fez para o remake de O Rei Leão.

INDICA AÍ:

A gente vai ficando por aqui, pessoal. Mas antes de ir nessa eu volto a lembrar: participe do nosso programa, mandando suas sugestões, dicas, comentários… e participando dos nossos quadros. Quer saber a história de algum ator, escritora ou diretor? Manda a sugestão pra gente. Você também pode indicar livros, filmes e séries pro nosso quadro “Indica Aí”. Também dá pra indicar filmes com trilhas sonoras legais, tirar sua dúvida sobre um termo que você não faz ideia do que signifique (ou faz e queira compartilhar o conhecimento com os ouvintes), e muito mais.

As indicações da semana foram as seguintes:

Equipe da Rádio Bradesco Seguros:

  • David Jill: Filme – Colateral
  • Magno Nunes: Documentário – John à procura de aliens
  • Davi Pereira: Livro – Quarto de Despejo, de Carolina Maria de Jesus

A gente volta sexta-feira que vem. Até lá