Conheça profissões impulsionadas pela transformação digital

Sistemas de software, dados e capacidade analítica moldam algumas das profissões que guiarão os processos de transformação de muitas indústrias nos próximos anos

Você sabe o que faz um antropólogo digital? Contratou o cientista de dados que cuidará dos seus algoritmos? A transformação digital é um dos temas centrais na pauta de qualquer empresa que deseja manter uma cultura de inovação e é, também, a responsável pelo aparecimento de novas profissões, com atribuições que definirão os negócios do futuro.

Menos diplomas, mais soft skills? Em um cenário de transformações cada vez mais rápidas, algumas habilidades interpessoais serão determinantes para a estabilidade profissional. De acordo com o relatório “The Future of Jobs”, lançado em 2020 pelo Fórum Econômico Mundial, habilidades como a capacidade de resolver problemas complexos, pensamento crítico e analítico, aprendizagem contínua, uso e desenvolvimento de tecnologias, criatividade, originalidade e iniciativa são algumas das habilidades consideradas essenciais para profissionais até 2025.

Desenvolver aplicações tecnológicas para automatizar negócios, contar boas histórias, encontrar soluções criativas para serviços e produtos passam a ser funções desejáveis para empresas antenadas a cenários de inovação.

Por isso, listamos algumas profissões emergentes em ambientes inovadores e que já despontam como carreiras em alta para as próximas décadas:

1. Especialista em Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial está presente em muitas soluções do dia a dia que garantem uma melhor experiência do cliente – como nos atendimentos por chatbots ou no desenvolvimento de soluções de automação. A pandemia também elevou a Inteligência Artificial de patamar: aplicações baseadas em IA têm ajudado a ciência na corrida contra o novo coronavírus, por exemplo. Um especialista em Inteligência Artificial tem um vasto campo de atuação, como desenvolvimento de softwares, atuação em robótica ou no processamento de linguagem natural.

2. Especialista em Antropologia Digital

A Antropologia Digital estuda as relações das pessoas com as plataformas digitais, como as redes sociais e outras interfaces. O especialista em Antropologia Digital ajuda empresas a compreender usuários e aplicações com mais profundidade, ao conhecer seus comportamentos e emoções nas redes. Estes especialistas ajudam a formular pesquisas qualitativas mais eficientes e a colaborar com estratégias digitais.

Especialistas em Antropologia Digital ajudam empresas a entender a relação de usuários com as redes e aplicações.

3. Cientistas de dados

Com o boom da Inteligência Artificial, a profissão de cientista de dados também ganha espaço no cenário de inovação. Com vasto campo de atuação, este profissional está por trás do conceito de machine learning (“Aprendizado de máquina”) utilizado em muitas aplicações baseadas em IA. Com o Big Data ditando as tomadas de decisão, cabe a este profissional fazer a gestão e tratamento de dados para fins diversos e criar algoritmos que ajudam a gerar insights para os negócios – do conhecimento dos clientes a hábitos e soluções que fazem toda a diferença na eficiência e entrega de produtos e serviços.

O cientista de dados está por trás do conceito de machine learning utilizado em muitas aplicações baseadas em IA.

4. Storyteller

Na Sociedade da Informação, recebemos uma variedade imensa de informações todos os dias e poucas são realmente absorvidas com atenção. Por isso, um Storyteller, ou “contador de histórias”, tem a missão de captar a atenção das pessoas por meio de uma das habilidades humanas mais antigas: construir e relatar narrativas. Cabe ao storyteller usar e abusar da criatividade para encontrar bons personagens e histórias nos negócios de uma empresa e criar ou adaptar narrativas para diferentes públicos.

E no futuro?

 

De investigador de dados a conselheiro de reabilitação para jovens cibercriminosos, passando por alfaiate digital e gerente de urbanismo de realidade virtual: esta década será marcada pela especialização focada na inovação. A multinacional Cognizant, especializada em transformação digital, revisa periodicamente o seu relatório lançado em 2018 com as 21 profissões do futuro para os próximos anos, em que são listadas novas atividades profissionais que devem surgir até 2028 por conta do acelerado processo de inovação no mercado de trabalho. Destacamos algumas carreiras apontadas pelo estudo como profissões emergentes:

1. Designer de vox UX

No futuro, o comando de voz será uma das tendências tecnológicas – e os assistentes de voz serão cada vez mais personalizados, emulando interações humanas. O Designer de voz UX criará uma série de ferramentas e protocolos para realizar esta personalização, mesclando sons e algoritmos.

 

2. Chief Trust Officer

A reputação será um dos ativos mais importantes para as organizações. O Chief Trust Officer trabalhará integrando áreas financeiras e de relações públicas para, entre outras atividades relacionadas à confiança de stakeholders, garantir a transparência na prestação de contas dos negócios.

 

3. Conselheiro de reabilitação para cibercriminosos juvenis

Este profissional ajudará adolescentes acusados por cibercrimes a aprimorar suas habilidades e direcionar seus potenciais para carreiras no meio cibernético. É uma forma de recuperar cibercriminosos através da profissionalização, aperfeiçoando talentos para o mercado de trabalho.

 

4. Auditor de viés algorítmico

Os algoritmos estão cada vez mais presentes nas rotinas das empresas, nas aplicações baseadas em Inteligência Artificial. Este profissional será o responsável por assegurar que os algoritmos dessas aplicações sigam os protocolos éticos e os valores das empresas, para evitar possíveis crises de reputação.

 

Assegurar que os algoritmos de aplicações baseadas em IA sigam os protocolos éticos e os valores das empresas será uma das missões dos auditores de viés algorítmico.

5. Analista de cidades cibernéticas

Será o responsável por trabalhar para integrar dados dos cidadãos e recursos municipais aos sistemas das Smart Cities, as cidades inteligentes que funcionam por meio de mecanismos conectados com tecnologia de ponta. Este especialista deve zelar pela segurança e bom funcionamento dos sistemas das cidades do futuro.

 

6. Alfaiate Digital

A pandemia de Covid-19 impulsionou o e-commerce e a tendência de realizar compras online deve ser um dos hábitos de consumo no pós pandemia. Mas e quando o tamanho da roupa comprada online não cai bem? O alfaiate digital será responsável por tirar medidas de usuários em suas residências utilizando sistemas digitais e fazer ajustes em peças e calçados comprados online.

 

7. Técnico em saúde informatizada

Impulsionada pela pandemia, a telemedicina deve ampliar as suas ações no mundo pós Covid-19

A telemedicina também deve ampliar as suas ações no mundo pós Covid-19. O técnico em saúde informatizada trabalhará com médicos atendendo de maneira remota para, com o auxílio da inteligência artificial, examinar, diagnosticar, administrar medicamentos e prescrever tratamentos aos pacientes.

8. Curador de memória pessoal

A perda de memória causa stress, depressão e ansiedade nas pessoas afetadas. O curador de memória consultará a mídia, fontes históricas e pessoas específicas para ajudar quem perdeu a memória a refazer e formular experiências do passado.

[lbg_audio5_html5_shoutcast settings_id=’1′]