Resumo da Ópera #63 – Seinfeld, Frank Miller e Jump Scare

Nessa edição do Resumo da Ópera falamos de um clássico do terror. Mas, calma lá, não estamos falando de nenhum filme, mas de uma técnica muito famosa nos filmes de terror, o recurso chamado “jump scare”, que foi explicado no nosso “Falando Grego”.

Por sua vez, o Clássico da edição não teve nada a ver com terror: “Seinfeld”, uma das sitcoms mais famosas de todos os tempos.

Já pela nossa Calçada da Fama, quem passou foi o quadrinista Frank Miller, autor de clássicas HQ’s, como “Demolidor”, “Sin City”, “300” e “Ronin”.

 Não esqueça, o Resumo da Ópera acontece toda sexta-feira, ao vivo, às 15 horas.

Confira aqui descrição completa do episódio

Para você que está chegando agora por aqui, esse é o Resumo da Ópera, nosso programa sobre filmes, séries e livros. Essa é a nossa edição de número 63!

Aproveite para participar com a gente. Vale mandar sugestão, comentar nossas notícias e quadros, indicar filmes, livros e séries… Entre em contato com a gente pelo site da rádio, pelo e-mail ouvinte@radiobradescoseguros.com.br ou pelo telefone (11) 996434227.

Vamos começar falando grego:

FALANDO GREGO:

JUMP SCARE

O termo de hoje vem direto dos filmes de terror. Vamos falar sobre o que é o “jump scare”. O que numa tradução bastante livre seria algo como “pulo de susto” é uma técnica usada em produções de suspense e terror para assustar o público. É aquele momento que todos nós conhecemos em que estamos focados em determinado ponto da cena e, de repente, tomamos um susto com uma mudança rápida, geralmente realçada pela trilha sonora.

O recurso é tão frequente nos filmes de terror que acabou virando um clichê, com muitos filmes atualmente preferindo apostar em outras formas de construção do terror, sem se valer somente desse recurso.

NOTÍCIAS:

Atenção fã de quadrinhos: Você já ouviu falar em Yara Flor? Trata-se da mais nova Mulher-Maravilha! E ela é brasileira!

Pois é, recentemente a DC Comics quis dar uma renovada em seus super-heróis. Assim, criou um universo chamado “Future State“, com a história acontecendo no ano de 2030 e trazendo novas versões de seus clássicos personagens. Assim, foi divulgado que a nova Mulher-Maravilha, criada por Joelle Jones, vai se chamar Yara Flores e ela será uma brasileira imigrante nos Estados Unidos.

As primeiras histórias desse universo devem começar a ser publicadas no ano que vem.

Mas a DC já está planejando uma série dramática para a personagem. De acordo com o site Deadline, a roteirista Dailyn Rodriguez deve ser a produtora executiva do projeto que ainda não tem data de lançamento.

CURIOSIDADES:

FILMES SEM (ou com pouco) JUMP SCARE

No Falando Grego de hoje explicamos o que é o Jump Scare. Espécie de isca para assustar, mas considerada às vezes um recurso fácil demais, há filmes que preferem deixar os jumpscares de lado.

Vamos a alguns exemplos de como é possível assustar também sem apelar para o uso exagerado do jump scare:

– Roman Polanski é um mestre do terror com quase nenhum jump-scare. Alguns bons exemplos são: “O bebê de Rosemary” e “Repulsa ao Sexo”.

– Ainda nos “clássicos”, outra opção de terror que usa pouco o recurso é “Drácula de Bram Stoker”, de Francis Ford Coppola.

– Um pouco mais recente, “A Vila”, de  M. Night Shyamalan, cria uma atmosfera assustadora sem precisar de jumpscare.

– Por fim, outras boas opções são os filmes do diretor Robert Eggers: “A Bruxa” e “O Farol”.

MARQUE NA AGENDA:

Uma das boas estreias no streaming é a segunda temporada de “Marte”, uma série documental fictícia. A construção da série, que é feita como se fosse um documentário mesmo, é feita como se a humanidade estivesse prestes a colonizar Marte no ano de 2033.

Outra opção é o filme “Era uma vez um sonho”, de Ron Howard e com Glenn Close e Amy Adams no elenco. O filme mostra um jovem estudante de Direito tendo que voltar para sua cada em Ohio e percebendo algumas das faras do “sonho americano”.

Já para quem prefere um filme com mais ação, a dica no streaming é o longa de guerra “Até o Último Homem”, filme de Mel Gibson sobre um médico que durante a Segunda Guerra Mundial se recusa a usar armas para ajudar sua tropa.

Nos livros, tem uma boa opção para quem gosta de cinema: “Três Roteiros” traz o roteiro dos três longas-metragens de Kléber Mendonça Filho: “O som ao redor”, “Aquarius” e “Bacurau”.

Outra opção, essa propriamente na literatura de ficção, é “A Terceira vida de Grange Copeland“. O livro, que acompanha três gerações de uma família negra vivenciando o racismo no sul dos Estados Unidos, foi o primeiro escrito por Alice Walker, escritora de “A Cor Púrpura”.

CALÇADA DA FAMA:

FRANK MILLER

Quem passa pela Calçada da Fama de hoje é o quadrinista Frank Miller.

Nascido em Maryland, nos Estados Unidos, começou no mundo das HQ’s no fim dos anos 1970. Na época, ele fazia a arte para o quadrinho The Twilight Zone, baseado na série de mesmo nome. Logo depois, trabalhou para a Marvel e para DC Comics em uma série de quadrinhos, principalmente desenhando as capas e algumas das artes, com destaque para o quadrinho O Espetacular Homem-Aranha.

Um de seus grandes trabalhos foi em “Demolidor”, série em HQ que assumiu nos anos 1980, sendo também responsável pelo texto. Seu trabalho nessa série teve grande destaque, dando força ao personagem que passou a ter em sua história um universo mais pesado e cruel.

O mesmo aconteceu com Batman, alguns anos depois, quando Miller desenhou e escreveu a série “O Cavaleiro das Trevas”, com o personagem já nos seus 50 anos. O estilo de Frank Miller ajudou a trazer histórias mais “adultas” para o gênero, com universos mais sombrios e temáticas mais pesadas.

Outras de suas obras são o cyberpunk samurai “Ronin”, “Sin City” e “300”, com essas duas últimas tendo sido adaptadas para os cinemas. Aliás, Miller também conta com algumas participações no cinema, seja produzindo ou co-produzindo os roteiros ou fazendo aparições nos filmes derivados de suas obras.

SESSÃO TRILHA SONORA:

Dash & Lily – Joe Tracz (2020)

Lançada nesse ano de 2020, “Dash & Lily” é uma série de comédia com drama e romance.

A trama, inspirada nos livros “O Caderninho de Desafios de Dash & Lily“, se passa na época do Natal e acompanha dois jovens que se envolvem a partir de um caderno de desafios e passam a conversar a partir dele.

Na trilha sonora, muitas músicas com tema de Natal, entre elas sons de Cat Power, Nat King Cole, Wham! e Jonas Brothers. Inclusive, Nick Jonas é um dos produtores da série. Então a gente ouve agora o som dos Jonas Brothers com “Like it’s christimas“.

(Jonas Brothers – Like It’s Christmas)

CLÁSSICO É CLÁSSICO:

Seinfeld – Larry David e Jerry Seinfeld (1989-1998)

Criada em 1989, Seinfeld ditou o ritmo das sitcoms que viriam nos anos seguintes. Feita por Larry David e Jerry Seinfeld, a série teve ao todo nove temporadas e é até hoje bastante celebrada e assistida.

Como toda sitcom, a trama é bem simples e acompanha Jerry Seinfeld, um comediante de Stand Up, vivendo em Nova York e se relacionando com seus amigos George, Elaine e Kramer. Inclusive, a série é várias vezes descrita como “uma série sobre nada”.

Ao longo do tempo que ficou no ar, “Seinfeld” recebeu uma série de prêmios, entre eles 10 Emmys e 3 Globos de Ouro, incluindo prêmios individuais e coletivos.

Além de Jerry Seinfeld, a comédia teve em seu elenco Jason Alexander, Julia Louis-Dreyfus e Michael Richards.

INDICA AÍ:

E hoje a gente também recebeu indicação da Livia Sena de Sousa, da Superintendência de Comunicação & Análise de Mercado da Bradesco Seguros, aqui em São Paulo:

Ela indicou a minissérie “O Gambito da Rainha”. Protagonizada por Anya Taylor-Joy, a obra acompanha uma garota órfã que é um verdadeiro prodígio no xadrez. Porém, enquanto aprimora suas habilidades a jovem tem de lidar com seu vício em remédios.

Com apenas 7 episódios, a minissérie está totalmente disponível no streaming e vem rendendo ótimas críticas.

 A gente vai ficando por aqui, pessoal. Mas antes de ir nessa eu volto a lembrar: participe do nosso programa, mandando suas sugestões, dicas, comentários… e participando dos nossos quadros. Quer saber a história de algum ator, escritora ou diretor? Manda a sugestão pra gente. Você também pode indicar livros, filmes e séries pro nosso quadro “Indica Aí”. Também dá pra indicar filmes com trilhas sonoras legais, tirar sua dúvida sobre um termo que você não faz ideia do que signifique (ou faz e queira compartilhar o conhecimento com os ouvintes), e muito mais.

A gente volta sexta-feira que vem. Até lá.

[lbg_audio5_html5_shoutcast settings_id=’1′]